" Eu não me importo se você é branco , negro , hétero , bissexual , gay, lésbica , baixo , alto , gordo , magro , rico ou pobre . Se você for gentil comigo , eu serei gentil com você simples assim " ( Eminem )

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Peguei DST, e agora?

           Oi pessoas lindas que eu amo. Tudo belezinha? 
           Aqui é o Gu e trago uma confissão nada confortável a vocês: - Sim, peguei gonorreia e pela segunda vez. Na primeira foi em um show, acho que confessei aqui,  foi a primeira vez que fiz ativo {ainda não fiz passivo} e foi com um gordinho muito gostoso. Não havia camisinha e foi em um banheiro químico {eu sei, nojento, mas tesão bateu}. Sim, um erro sem precedentes, mas aconteceu. Por sorte, foi só gonorreia, poderia ter sido pior, mas graças a Zeus, foi uma DST apenas. 

           Fiquei em pânico. Nunca havia me acontecido e só me vinha aquelas imagens horrendas da época da escola, com pênis dilacerados e mutilados por doenças venéreas. A internet me ajudou muito e usei azitromicina, um antibiótico já conhecido meu, já que sofro de sinusite e ele está na minha receita médica há tempos. Não é qualquer farmácia que vende sem receita, mas na segunda ou terceira tentativa, você já deve conseguir sem grandes obstáculos. Tomei uns dois ou três comprimidos na época, e foi o suficiente, pra minha grande sorte. 

           Nesta segunda vez, fui dar minha habitual caçada de fim de semana, naquele mesmo lugar que já citei aqui. Um point retirado e escuro, onde as gays da cidade fazem pegação. Lá conheci um cara bacana e começou a brincadeira. Ele tinha camisinha e eu fiz ativo. No final, eu quis tirar a camisinha e finalizei sem. Sim, foi já no finalzinho e não gozei dentro, mas foi o suficiente para que a bactéria Neisseria gonorrhoeae se alojasse em mim.
           Fui embora e com três dias comecei a perceber os sintomas: Corrimento mal cheiroso no pênis. Por sorte, minha amiga, que usou um vibrador da colega dela sem fazer a assepcia correta, veio comentar comigo que estava com o mesmo problema. Fomos juntos a farmácia e fomos medicados. Ela se curou bem, pois nunca havia pegado. Mas comigo, foi um pouco pior e tive de tomar mais medicamentos, alguns dias depois. Acontece que toda bactéria se torna resistente caso ocorre reincidência e não reage muito bem aos mesmo medicamentos. Ela se fortalece. 

           Eu me livrei da gonorreia, mas desenvolvi Uretrite Gonococica.Isso pode acontecer pela medicação ou por simples ação da bactéria. Os sintomas? Parece ter uma sementinha, um ou dois dedos depois da glande, denttro da uretra. Causa ardência ao urinar e pode coçar um pouco. Há também um corrimento, semelhante a própria gonorreia, no entanto, em menor quantidade e o cheiro bem mais discreto. Neste caso, usei Ciprofloxacino 500mg, que resolveu com apenas três comprimidos.
              Mas Gu, quais medicamentos devo comprar e como devo proceder? Gente, lembrando que não tenho formação, portando, procurem um médico, ok. Apenas estou tentando ajudar, pois sei o quanto é embaraçoso  ter  de se abrir com alguém por conta de DST. 

             A principio, compre: Fluconazol 150mg {duas caixas}, Secnidazol 1000mg {uma caixa} e Azitromicina 1g {três caixas}. Comece o tratamento tomando 1 fluconazol, ele vai impedir que as bactérias se espalhem. No mesmo dia, de preferência uma hora depois, tome uma Azitromicina. Nos próximos dias, você tomará um por dia. No último dia, tome uma hora depois o outro fluconazol + um Secnidazol. Na caixa do Secnidazol, virão dois comprimidos. Deixe o outro para o dia seguinte. Pronto, você deverá estar melhor depois disto. Lembre-se, não tome bebidas alcoólicas ou coma comidas gordurosas durante o tratamento. Pode ocorrer logo no final do tratamento, a Uretrite Gonococica, como ocorreu comigo. Caso aconteça, compre Ciprofloxacino 500mg e tome um por dia, nos mesmo horário. Assim que os sintomas sumirem, por completo, tome apenas um comprimido a mais e suspenda o uso. Lembre-se de tomar mais água que o normal e evite álcool.
               Boa sorte crianças. Ao todo, gastei pouco mais de $100 e sim, essa grana me fez falta. Portanto, nunca se esqueçam, a saúde é e sempre será o principal. Um momento de prazer, não vale sua vida. Beijokas.

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Boys

          Você ainda se recorda como eram suas paixonites da adolescência? Eu me lembro. Eram tão gostosinhas e inocentes. Na verdade, nunca tive mais que crushs. Nunca consegui ficar com um coleguinha. Não sei bem o porque, talvez a falta de oportunidades, sei lá. Mas se tivesse tido um peguete, queria que tivesse sido assim, como a história deste filme. 
            O protagonista, Sieger é um corredor. Na verdade ele esta em fase de treinamento. Sua meta: Ser um bom corredor de revezamento, e acaba sendo selecionado, para receber um treinamento mais profissional, onde conhece Marc. Os dois, logo se afeiçoam um ao outro, desenvolvendo um lindo e profundo laço. 
          É gostoso ver como tudo se revela de forma natural, sem forçação de barra. Logo no início, quando ambos vão nadar juntos, surge beijos tão naturais como deve ser. O filme é bonito e leve. Sem grandes dramas ou sem muita profundidade talvez, mas um filme agradável e natural. Caramba, fico a imaginar ver um filme desses na sessão da tarde, naturalmente, como veria filmes de romances colegiais héteros.
              Infelizmente, na minha adolescência não havia nenhuma referência gay, não que eu me lembre. Acho que fomos criados para sermos héteros, mas algo deu errado{ainda bem}, e se deu toda uma geração gay. Por que digo geração? É que muitos dos meus amigos, na mesma faixa etária, se assumiram gay e alguns ainda estão saindo do armário.  
           No decorrer do filme, Sieger consegue ser um babaca completo. Arruma até uma namoradinha, que é uma fofa e não tem culpa alguma de se apaixonar, claro, mas essa relação magoa muito Marc. Aliás, os sentimentos dos personagens são quase velados e muito mal explorados. Mas no fim, o filme é lindo e o final é compensador. Vale cada segundo. O longa está disponível no Netflix. Recomendo.

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Ainda Estou Aqui

          Atualmente, sofro de um estado constante de regressão. Cada segundo nesta semana foi como se eu voltasse ao meu EU anterior, aquele que eu gostaria de esquecer. Aquele que era calado, triste e infeliz. Ainda não identifiquei bem o que me fez regredir desta forma, mas tem sido doloroso e lento. 
          Tenho estado sensível e tudo que eu gostaria é de um abraço longo e caloroso, daqueles que sufocam e aquecem o coração. Mas nunca terei. Parece que a minha vida, será apenas de desejos inalcançáveis e sonhos não concluídos. Parece que meu tempo já passou e estive a pensar se isso não é uma "crise dos trinta" retrógrada. 

            Depois de tanto tempo sem vir aqui, tudo que eu gostaria era de trazer novidades, alegrias vividas e novos sonhos. Mas sinto-me cada dia pior e odeio me sentir assim, pois demorei anos pra ser quem sou agora. Foi doloroso antes e não quero retornar aquele lugar no meu coração, que já me fez sangrar tanto.
           Tenho medo. Me torno destrutivo. Só quero que tudo termine logo. É como se houvesse uma ansiedade pelo fim já que tudo até aqui, foi péssimo, em se tratando de relacionamentos. Se Deus existe, por que ele não ouve meu coração e manda alguém pra mim. Há casais tão bizarros, diferentes, inacreditáveis. Mas por que que pra mim, nunca há ninguém? Será que só eu não percebo o quão ruim eu sou? Ou estranho e antipático? Ou feio e esnobe? Sei lá, deve ter alguma explicação.
           Ouço esta música enquanto redijo este texto{Leandro Buenno - Fica Comigo}. Este rapaz do clipe, o cantor, me lembrou muito um crush do passado, e isso dilacerou meu peito. Não o sigo mais no Face, mas é certo que está com alguém muito melhor que eu, com um bom salário e bem mais bonito também. Verdade, quem namoraria um atendente de lanchonete?
            Ah... Não posso culpar minha vida por estar da forma que está. Eu sempre pensei no hoje, e em viver cada segundo da minha vida sem me preocupar tanto com o dia de amanhã. Nunca façam isso. Projetem seu futuro. Nunca se tornem alguém frustrado por não ganhar grana o suficiente. O dinheiro é tudo sim, a aparencia também. E Deus, esqueça. Talvez ele nunca te ouça, ou se ouvir, ele não é obrigado a colocar alguém bacana na sua vida. A sua vida é o que você fez dela, aceite isso. além do mais, apenas 7% da população mundial saberá o que é o verdadeiro amor. {inventei este número}. 

           Beijos, e perdoem meu texto/desabafo amargurado. Talvez um dia, eu traga boas novas. Talvez.  

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Leitura Recomendada

            JUNTOS NA SOLIDÃO: A Epidemia da Solidão Gay

          Sabe aquele texto que você adoraria publicar na TL do seu Facebook, mas ele esta cheio de parentes e talz, portanto, você não poderá fazê-lo? Pois é. Gostaria muito de compartilhar aqui, com vocês, este maravilhoso texto, que na verdade, é traduzido e transcrito no blog "Leve e Solto No Mundo". É um texto longo, mas recomendo fortemente. Sei que gostarão. Abraços.
          "Por décadas, também era isso que os psicólogos pensavam: que os estágios chaves da formação da identidade dos homens gays levavam a assumir-se e que, uma vez que nos sentíssemos confortáveis conosco mesmos, poderíamos começar a construir uma vida no meio de uma comunidade de pessoas que passaram pela mesma coisa. Mas, nos últimos 10 anos, pesquisadores descobriram que a luta para se encaixar só se tornou mais intensa. Um estudo publicado em 2015 descobrir que os índices de ansiedade e depressão eram mais altos entre homens que se assumiram recentemente do que entre aqueles que ainda estavam no armário."

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Quase me tornei uma estatística.

          No dia 30/12/2016 Sexta-Feira,  eu encontrei um amigo, quando voltava da minha caminhada. Ele me chamou para tomar uma cerveja e então me convidou para um pré-reveillon, que aconteceria na casa dele. Já estava tarde, mas decidi ir. Lá encontrei meu ex-ficante com o namorado dele e toda a galera que eu curto tanto. Meu ex me pegou falando bem dele pro atual. O atual me fez um sinal enquanto eu falava e ao olhar pra trás, meu ex ficante estava lá, ouvindo tudo. Fiquei sem graça, mas no fim, ele me pegou falando coisas lindas dele...De alguém que quase foi meu namorado. Só quero que ele seja muito feliz.♥
           Eu bebi horrores, mas como sou muito resistente, não fiquei chapado. Desci a pé do local onde ele mora e chegando perto da minha casa, decidi caminhar um pouco mais. Sim, já passava das duas da madruga, mas tenho dessas coisas.  Cruzei com um cara e começamos a caminhar juntos, lado a lado. Conversamos muito e depois de muitas indiretas decidimos ficar. Eu o levei para um lugar afastado e no caminho, cruzamos com dois caras que provavelmente estavam querendo usar drogas. 
         
            Eu levei de boa, cumprimentei os caras e saí, mas ele ficou todo desconfiado. Continuamos andando e chegamos ao local onde queria. Escuro, perfeito para fazermos sacanagens que quiséssemos. Distraído, recebi um golpe muito forte na nuca. Caí no chão, tonto, sem entender nada do que havia ocorrido. Foi então que percebi, ele havia me golpeado. Eu estava no chão, mal conseguia me levantar. Tonto. Perguntei por que havia feito isso, já que não dei motivos.
            Mas ele me disse que eu cumprimentei os caras, que eu estava o levando a uma emboscada. Ele estava surtado e disse que me eliminaria, ali, naquele momento. Consegui me levantar e explicar, que cumprimentei eles por educação, e não cumprimentar alguém que pode te fazer mal, é perigoso, por isso falo ao menos um "oi" com todos. Tive de  jurar que não os conhecia. Quis voltar e perguntar a eles na frente dele, mas ele não aceitou. 

           Achei que tudo estava perdido, e ouvindo ele dizer várias vezes que poderia me eliminar se quisesse. Pedi que me matasse logo, mas que não me deixasse sofrer. Que fosso rápido então. Eu chorava muito, e morrer, diante das situações que me angustiavam, não pareciam má ideia. Ele parou por alguns segundos e explicou que era policial disfarçado. Estava a procura de um traficando aqui na região e me confundiu com ele. Estava tentando arrancar algo de mim e aqueles dois rapazes na rua, que cruzou nosso caminho, foi o estopim para que ele achasse de fato que eu vendera drogas, ou o encurralaria. 

            Chorei muito. Machuquei o ombro esquerdo na queda e o dedão esquerdo do pé. Manquei muito no trabalho no dia seguinte por conta disso. Inventei aos amigos que havia dado uma topada na mesa a noite, no escuro. Ontem, 01/01/2017 Domingo, o meu dedão ainda estava muito inchado. Por sorte estava de folga. Vendo minhas lágrimas, e percebendo minha inocência, ele se desculpou várias vezes. Pegou meu rosto com suas mãos. Me abraçou. Pegou o celular e chamou uma viatura, para me levar para casa. Eu recusei, saí mancando pela rua. Ele me seguia pedindo perdão e repetindo toda sua motivação.

         Estava longe do local, então percebi que havia perdido meus óculos. Não teria grana para comprar outro tão em breve, então retornei. Ele disse que me ajudaria. Conversamos muito ainda. Disse que já havia perdoado ele bem antes dele me golpear. Como ele poderia saber? E ele era tão fofo. Pedi para que ficasse comigo e fiz oral nele. Foi bom, demorado. Ele é bem gostoso, gordinho, um tesão. Parece que mora nos arredores do lugar para onde me mudei. Ele não gozou, disse que qualquer hora dessas iríamos terminar o que começamos. Duvido. Nunca mais o verei. Só hoje me dei conta de que nem lembro do rosto dele.
          Se ele é policial mesmo? Bom, antes de me golpear, ele parecia meio bobo, mas fofo e gentil. Mas depois que me levantei daquele chão, vi um homem diferente, sóbrio e sensato. Ele arrancou uma blusa e por baixo, havia uma camiseta preta escrito Segurança... Ou seria polícia? Nem me lembro direito. O fato é, eu poderia ter virado estatística. Encontrariam meu corpo e nem saberiam  a motivação do crime. É importante citar, ele disse que eu deveria denunciá-lo. Disse que iria comigo e confirmaria tudo. Acho que sim, ele é policial. E o fato de ter saído de lá mancando, o deixou chateado. Ele queria mesmo me levar de viatura.

          No mais, quase chegando em casa, dei umas olhadas para um cara que descia, assim como eu, para o centro, a pé. Nós ficamos e eu consegui ser o ativo naquele momento. Não senti nada. Acho que foi a camisinha, sei lá. Esperava que houvesse mais atrito e eu sentisse mais prazer, mas não foi tão bom. Fingi que havia gozado e ele gozou enquanto eu o penetrava e masturbava ele. O cara é gente boa e pegou meu telefone. Espero que não ligue, acho que não curto caras mais femininos que eu... Bobagem isso? Preciso pensar a respeito.

          Escapei de me tornar uma estatística. Quando disse pra ele me matar, havia verdade nas minhas palavras. Acho que não me importaria. Mas fiquei feliz por conhecer ele. Sério, o cara era super gente boa, ou parecia ser. Meu troféu foi ter chupado ele. A cidade grande vai me trazer boas histórias para o blog afinal. Feliz Ano Novo♥ E cuidem-se. Na sejam loucos como eu, ou sejam, sei lá. Mas sejam sempre responsáveis por suas ações!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...